5 dicas essenciais de marketing para e-commerce

5 dicas essenciais de marketing para e-commerce

Blog

Nos dias de hoje, muitos consumidores abrem mão de namorar vitrines ao vivo pelos corredores dos superlotados shoppings para ficarem mais em casa e realizarem suas compras e pesquisas no conforto de seus sofás, tudo pelo computador.

E por essa tendência se mostrar cada vez mais presente é que as lojas online precisam urgentemente contar com uma estratégia de marketing digital realmente eficaz, demarcando território nas principais redes sociais, produzindo conteúdo relevante, aplicando técnicas de SEO e assim por diante.

5 dicas essenciais de marketing para e-commerce

Não sabe por onde começar? Fique de olho nas dicas que separamos para você ter sucesso de primeira nessa empreitada! Acompanhe:

Alimente seu blog com conteúdo de qualidade

No universo do marketing digital, ter um blog é simplesmente indispensável. E por mais que essa seja uma excelente ferramenta de conversão de visitantes em leads, o blog vai muito além.

Alimentá-lo com conteúdo de qualidade não só posiciona sua marca como referência e ajuda o público a solucionar dúvidas, como gera muito mais oportunidades de negócio. Mas atenção: é preciso investir na produção de conteúdo realmente bom para alcançar esses resultados.

Otimize suas páginas com SEO

Tanto para o blog como para suas páginas de produto, é importante aplicar pelo menos as técnicas básicas de SEO. O Search Engine Optimization é um conjunto de ações pensadas para posicionar bem sua página nos resultados das buscas do Google. Comece usando sua principal palavra-chave nos títulos, ao longo das descrições dos produtos e até nos textos alt das imagens.

Lembrando que a palavra-chave é o termo mais importante da página. Assim, se você vende luminária, é exatamente esse seu termo-chave.

Procure manter contato pelas mídias sociais

O relacionamento é uma parte importantíssima do marketing digital. E por mais que o blog até seja um bom canal para construir esse relacionamento, não é igual às redes sociais! Facebook, Twitter e LinkedIn, por exemplo, são canais de comunicação bem dinâmicos, que permitem que o usuário se sinta próximo da marca, interagindo com ela sempre que desejar. Esse relacionamento não só atrai mais seguidores como gera mais vendas e cria verdadeiros defensores da marca.

Aposte no e-mail marketing

Por mais que muitos tenham profetizado que o e-mail estava com seus dias contados, a verdade é que essa ferramenta ainda é uma das maiores aliadas do marketing digital nos dias de hoje.

O e-mail não só é mais um recurso facilitador de relacionamentos como é excelente para divulgar promoções e ofertas! Com ele é possível criar diferentes listas de contatos, de acordo com o estágio dos visitantes, e enviar conteúdos diferenciados.

Você pode, por exemplo, criar ações específicas para datas comemorativas — como Natal, Páscoa, Dia das Mães e por aí vai — e enviar newsletters com conteúdos e ofertas especialmente voltados para essas datas. Pense bem: se um usuário voluntariamente deu seu e-mail para receber conteúdo da sua marca, aí está uma oportunidade de ouro!

Passe segurança para os usuários

Mas atenção: nem mesmo uma ótima estratégia de marketing digital funciona se sua loja virtual não gera a devida confiança nos visitantes. Se os usuários se identificam com seu e-commerce, as chances de conversão aumentam significativamente.

Nesse sentido, o primeiro passo é contar com um bom layout, organizado e simples, que ajude os visitantes a terem boas experiências quando em contato com a loja. Crie boas descrições para os produtos, que tirem as dúvidas dos possíveis consumidores e apresentem seus principais benefícios, invista em fotos de qualidade para demonstrar bem o produto e deixe sua loja sempre organizada!

De fato, o marketing para e-commerce pode trazer inúmeros benefícios tanto para os empreendedores como para os próprios clientes, não só criando um relacionamento valioso com os visitantes como também acelerando a conversão e transformando rapidamente meros contatos em consumidores fiéis da sua loja! Não parece ótimo?

Fonte: Blog do Moip

Mark Zuckerberg diz que Facebook deverá incorporar botão Não Curti

Mark Zuckerberg diz que Facebook deverá incorporar botão Não Curti

Blog

Nesta terça-feira (15), Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, revelou que a rede social já está trabalhando no botão Não Curti (Dislike). Já faz algum tempo que rumores sobre o assunto circulavam na mídia, porém, nada oficializado até então.

O botão vem sendo aguardado pelos usuários há muitos anos, no entanto, ainda não há uma data para finalmente chegar ao Facebook. Porém, agora, ao que tudo indica deverá mesmo chegar. A revelação foi feita em um Q & A, evento de perguntas e respostas, na própria sede do Facebook.

botao-nao-curtiZuckerberg disse que entende que os usuários precisam expressar as suas emoções além da positividade, em especial em posts que contenham temas sensíveis. Nestes casos, a opção de Curtir é a única, porém não satisfatória.

“As pessoas me perguntam sobre este botão há anos e provavelmente centenas já me perguntaram. Hoje é um dia especial por que é o dia que eu posso dizer que estamos trabalhando nele e estamos perto de começar os testes”, disse Zuckerberg.

O CEO da rede social não informou como o botão será acoplado, porém, ele indica que o sistema usado deve ser diferente do usado em outros sites que contam com uma alternativa semelhante, como o YouTube e o Reddit. O objetivo é que o botão não signifique negatividade. “O que as pessoas querem é expressar empatia”, justifica.

Vale notar que no final do ano passado, Mark Zuckerberg frisou que temia que o botão Não Curti pudesse criar alguma situação de bullying dentro da rede social.

E você, o que pensa sobre o botão Não Curti? Será que ele conseguirá ser usado somente para expressar emoção referente ao tema, ou poderá ser usado para comprometer publicações alheias?

Por Rafaela Pozzebon da Oficina da Net

Uber ou Taxistas, afinal quem tem razão?

Uber ou Taxistas, afinal quem tem razão?

Blog

Com a polêmica do aplicativo Uber X Taxistas, pedimos a nossa parceira e advogada Paula Duran da CP Advogadas que nos esclarecesse sobre essa questão do ponto de vista jurídico. Eis que recebemos o seu artigo com muitos esclarecimentos conforme a seguir:


 

Você já deve ter ouvido falar do Uber, o aplicativo mundialmente conhecido por permitir que qualquer motorista com carteira de habilitação se cadastre e preste serviços de transporte de passageiros em seu próprio veículo.

Através da interação via smartphones, com a fixação de preços calculados por logaritmos, de acordo com a demanda e a autonomia de vontade do motorista, milhares de pessoas têm mais uma opção de transporte.

Pois bem, há algum tempo o Uber chegou no Brasil e a polêmica em torno desse serviço pulula em todo o País.

Os motivos de banir a utilização do aplicativo são diversos e importantes, mas tangenciam os textos legais para fixar âncoras, em síntese, na reserva de mercado dos taxistas regularmente habilitados pelas Prefeituras Municipais.

A pretensa competição desleal entre os motoristas do Uber e os taxistas seria gritante, sob o fundamento de que só os taxistas estariam sujeitos à burocracia e ao alto custo na obtenção das licenças para prestação dos serviços, enquanto os motoristas do Uber não sofreriam qualquer fiscalização do Poder Público.

Apesar da concorrência não ser um fator preponderante na aferição da licitude, é importante ressaltar que os taxistas contam com inúmeras benesses que compensariam esses ônus excessivos, tais como:

  1. caracterização ostensiva dos veículos a possibilitar fácil identificação nas vias públicas;
  2. áreas exclusivas de espera de corridas, disponibilizadas e mantidas pela Municipalidade;
  3. permissão para circulação em faixas exclusivas para o transporte coletivo.
  4. garantia de remuneração mínima por corrida, através do sistema de bandeiras;
  5. benefícios tributários para aquisição de veículos.

Há quem diga que os usuários do Uber estariam sujeitos a riscos de acidentes, mas, efetivamente, essa é uma possibilidade inerente a qualquer tipo de transporte, o que acaba afastando mais esse argumento contra o aplicativo.

Entretanto, é importante acentuar que os textos legais vigentes conduzem à legalidade do Uber.

Isso porque, as características dos dois serviços demonstra que eles não têm a mesma natureza jurídica e, nessa medida, fazem jus a um tratamento diverso.

É conferir os elementos aptos a distinguir os serviços:

uber

Portanto, o taxi presta serviço de utilidade pública ou de interesse coletivo e, como tal, segundo a legislação, depende de autorização da municipalidade e é submetido à regulamentação.

Já o Uber não! Pelas características apresentadas acima, os serviços prestados pelos motoristas cadastrados nesse aplicativo são qualificados como serviços de natureza estritamente privada.

Assim sendo, o dispositivo legal que diz que “transporte público individual de passageiros” é atividade privativa dos taxistas não se aplica aos motoristas do Uber.

Evidentemente, mesmo tendo natureza privada, o Uber poderá sujeitar-se ao Poder de Polícia da Municipalidade, mas só se as Prefeituras editarem uma regulamentação específica. Enquanto essa legislação não surgir, é forçoso concluir pela legalidade do Uber.

Não se pode falar em clandestinidade apenas porque a atividade privada não foi regulamentada.

É imperioso, isto sim, que o Poder Público não ignore esse fenômeno irreversível dos meios alternativos de transporte que surgiram com a nova dinâmica tecnológica e social e, de forma proporcional de razoável, regulamente e fiscalize os serviços em prol dos usuários.

doutora-paula-duranPaula Duran, Advogada militante, inscrita na OAB desde março 2004, especialista em Direito Processual Civil pelo Instituto Brasileiro de Direito Processual é sócia do escritório de advocacia  CP Advogadas sediado na cidade de Bragança Paulista-SP

Você já viu que o player do Youtube mudou?

Você já viu que o player do Youtube mudou?

Blog

Finalmente um player do YouTube descente !

Depois de alguns meses de testes, o YouTube finalmente liberou o novo visual transparente do player para todos os seus usuários. A mudança não é lá muito drástica, mas não deixa de ser notável o desaparecimento da barra preta que carregava os comandos, agora “flutuantes”.

A mudança no design também alterou a exibição das configurações, cujas opções não são mais mostradas em menus drop-down. Um clique em “Velocidade”, por exemplo, carrega outra telinha dentro menu, e o mesmo acontece com “Qualidade” e outras funções. A exibição de anotações e o autoplay, por sua vez, são desativados por uma espécie de chave.

O novo visual foi apresentado inicialmente em abril deste ano, mas distribuído de forma limitada entre os usuários. Para habilitá-lo, era preciso acessar a área de testes TestTube ou fazer algumas alterações nos cookies do navegador.

Desta vez, no entanto, não é preciso nenhum truque para usar o novo player – cujo lançamento foi confirmado pelo site em seu perfil oficial no Twitter.

A novidade fica mesmo por conta do visual. Os botões aparecem em branco e também de tamanho maior. A barra de fundo está opaca, antes ela era translúcida. Já a barra de programação ficou mais fina, porém, quando o usuário passa o mouse por cima ela aumenta o tamanho.

Eu particularmente gostei muito desta nova versão pois o player antigo era muito feio para colocar em qualquer site de bom gosto o que me fazia usar o Vimeo muitas vezes. Agora você pode ficar tranquilo que o seu site ficará lindo com os vídeos do seu canal, ou somente os seus videos favoritos como os da playlist que selecionei para você a seguir.

Google Panda chegou e vai tirar seu site da busca do Google ! Saiba por que!?!

Google Panda chegou e vai tirar seu site da busca do Google ! Saiba por que!?!

Blog

O mecanismo de busca do Google sofreu recentemente um update que veio para remover resultados de baixa qualidade, ou seja, se seu site não estiver de acordo com as novas regras do sistema, terão suas páginas omitidas das buscas.

Fui pego pelo Panda?

Via Google Analytics é muito simples detectar a queda de tráfego de seu site. O Google Panda pode ter retirado dos resultados as suas páginas que traziam tráfego mas que não ofereciam uma boa experiência para o usuário. Se sua busca por palavras que antes levavam ao seu site não exibem mais seus resultados é por que sua página não atende aos requisitos do novo sistema.

O que muda com esse novo sistema?

O Google Panda Update visa melhorar a experiência do usuário, levando em conta diversos fatores, entre eles:

  • seo1Sites responsivos (site que se adapta a qualquer tela de dispositivos);
  • Quanto tempo o usuário passa dentro do site;
  • Quanto tempo ele gasta em uma página do site;
  • Se o usuário entra no site e volta à busca para achar outros resultados;
  • Se o site possui muitos anúncios;
  • Qualidade dos textos e informações do site;
  • Se o conteúdo tem bom relacionamento com a busca do usuário;
  • Se informa o usuário ou se somente vende alguma coisa;
  • Se o conteúdo é exclusivo ou se é copiado de terceiros;
  • Tempo de carregamento da página;

Esses fatores entre muitos outros são a causa das quedas nas suas vendas e conversões. Se sua página não ajuda e agrada o usuário ela também não será vista como relevante para o Google.

Outra dica importante

Se seu site tem boas páginas e páginas ruins, cuidado, as páginas que têm baixa qualidade irão prejudicar as que tem bons conteúdos.

Como me preparar ou recuperar minhas posições?

Primeiro é necessário uma análise do seu site e dos resultados das buscas que trazem tráfego para ele. Se a qualidade da informação proposta nos títulos e textos das páginas são realmente de utilidade ao seu visitante e qual a relevância delas na busca do usuário.

Um exemplo dessa análise seria assim:

  • Curso de culinária online
  • Escola de culinária pela internet
  • Aprenda Culinária

Com este exemplo, as palavras chaves usadas tem a mesma intenção (aprender culinária), então não necessariamente precisamos ter uma página para cada termo, pois o objetivo da informação é mesmo.

Retire ou reavalie qualquer conteúdo que não seja de boa qualidade, não importa a quantidade informação, textos grandes ou pequenos, mas sim, se ele atende a necessidade do usuário que a encontrou na busca. Pense sempre na qualidade e não na quantidade de artigos.

Foco na experiência do usuário! Ele é o rei!

Toda essa mudança tem um objetivo, a melhor experiência do usuário. Não adianta ter um bom texto e este não for agradável à leitura, ter fotos pesadas e outros elementos que dificultem a leitura do usuário.

Alguns pontos estratégicos neste quesito:

  • usuario-reiInteração do usuário (botões, links, compartilhamento social, etc);
  • Tamanho e tipo das fontes do texto;
  • Formatação geral do conteúdo para que tenha um design de qualidade;
  • Vídeos, fotos, áudio, tudo isso enriquece essa experiência;
  • Links externos que oferecem mais informações e detalhes;
  • Conteúdo organizado com títulos, sub-títulos, chamadas, etc;
  • Atualizações constantes no conteúdo;
  • Uso de tags e hashtags
  • Boa qualidade SEO

E agora o que fazer?

E agora? Como tomar ou retomar o controle sobre essas novas características da busca e adequar as necessidades do seu site? Neste ponto você tem dois caminhos, fazer você mesmo todo o processo de análise e ajuste ou contratar um profissional. Uma análise é muito necessária antes de tomar a decisão correta, antes de pensar em investir, por exemplo, em publicidade paga no Google AdWords ou até mesmo no Facebook Ads. Essas ações irão levar tráfego de usuários ao seu site e com isso, se seu site estiver defasado com certeza ele terá altas taxas de rejeição e com isso ficará mais prejudicado.

Conclusão

Com tudo em mente, agora fica mais fácil de encontrar a melhor solução para seu negócio e fazer investimentos nesta ordem com mais qualidade. O mercado digital cresce a cada dia e cada vez mais a internet é o canal de consumo dos usuários. Compras, consumo de conteúdo digital, estudo, planejamento, enfim, os mercados digitais estão cada vez mais presentes em nosso cotidiano e todos consumimos algo.

Fonte: Ecoa

O Facebook mudou o algoritmo do News Feed. E agora, você está preparado?

O Facebook mudou o algoritmo do News Feed. E agora, você está preparado?

Blog

Você notou alguma mudança no seu News Feed (Feed de Notícias) do Facebook? Isso é porque o Facebook fez três mudanças no algoritmo do News Feed com o fim de melhorar a experiência do consumidor. Como? Providenciando um melhor equilíbrio entre notificações de amigos e notificações de empresas, figuras públicas e organizações profissionais.

Cada vez que o Facebook muda o algoritmo, marcas e profissionais de marketing enlouquecem. Assim, gostaria de te ajudar a se adaptar a essa mudança, por isso fiz um resumo das alterações realizadas e como elas podem afetar a sua página.

Mudança #1: Se usuários não tem mais o que ver no News Feed, mas querem continuar vendo conteúdo, mais conteúdo (e possivelmente conteúdo duplicado) aparecerá

A primeira mudança no algoritmo do Facebook tem como objetivo melhorar a experiência daquele usuário que não tem muito conteúdo disponível no News Feed. Antes da mudança, o Facebook prevenia que o usuário visse vários posts de uma mesma origem. Agora essa regra foi flexibilizada, de modo que se a pessoa não tiver mais conteúdo para ver e continuar descendo na página, vai poder ter acesso a posts da mesma origem.

Mudança #2: Os updates dos amigos mais próximos vão aparecer no começo do News Feed

O Facebook recebeu feedback de que usuários estavam preocupados com a perda de atualizações importantes dos seus amigos mais próximos, como fotos, vídeos, status, links, etc. Diferentemente da mudança #1, a segunda foi feita pensando em um usuário que tem muito conteúdo para ver no seu News Feed. Essa mudança não vai eliminar posts da página completamente, mas é uma tentativa de melhorar o equilíbrio de conteúdo – que vai ser diferente para cada usuário.

Mudança #3: Comentários e likes de amigos vão aparecer no final do News Feed (se aparecerem)

Esta atualização foi feita baseada no feedback dos usuários que falam que não estão interessados em ver quando seus amigos comentam ou curtem alguma coisa. Com esta mudança, os usuários vão ver mais posts pessoais de seus amigos ou páginas que eles mesmos tenham dado “like”.

Legal… E como isso vai afetar a minha página?

De acordo com o comunicado do Facebook, o impacto no News Feed vai “variar consideravelmente dependendo da composição de sua audiência e atividade”. O que eles advertiram é que possivelmente o alcance do post e o tráfego por referência pode diminuir em alguns casos.

Dois pontos principais para ter em mente:

  1. Continue compartilhando conteúdo valioso que seja relevante para sua audiência – e foque em elaborar melhores posts no Facebook ao invés de lotar a sua página de posts.
  1. Se você perceber que seu alcance está diminuindo, considere reforçar o conteúdo do seu website e melhorar as opções de compartilhamento nas redes sociais. Desta forma, os usuários vão receber seu conteúdo por meio de amigos e não somente quando você adiciona posts. Isso vai te ajudar a alcançar uma maior audiência.

Fonte HubSpot